A prática da humildade nos torna profissionais ainda melhores

“Cerque-se de pessoas que te desafiam, te ensinam e te impulsionam para alcançar o seu melhor”. Bill Gates

Ser ou não ser humilde no ambiente de trabalho? Uma oportunidade ou freio na carreira? Essa é uma questão que merece a nossa atenção, já que a humildade pode ser vista tanto como uma virtude como uma fraqueza.


Nem todas as pessoas estão preparadas para serem desafiadas e receberem aquele empurrão na vida. O motivo? Porque essas pessoas acham que fazem o seu melhor e não são reconhecidas por isso. Afinal, cercar-se de pessoas que nos desafiam exige muita humildade, determinação e coragem.


Há alguns anos atrás tive uma líder que me deu um empurrão na vida. Na hora o impacto foi tão grande que veio a seguinte frase, como mecanismo de defesa: “Estou fazendo o meu melhor, por que ela não reconhece?" Essa minha frase era de uma menina inexperiente, a Shirley em início de carreira, ainda com a criança dela falando alto, querendo elogios o tempo todo e bem mimada.


Com o passar do tempo tudo foi mudando, e eu entendi que sempre temos espaço para alcançar o nosso melhor a cada dia. Sempre temos espaço para aprender e que o esforço é bem diferente de resultado. E isso fez muita diferença na minha carreira.


Hoje, de forma tão silenciosa e cordial, muitas vezes nos deparamos ainda no mundo corporativo com tropeços que chamo de improdutivos que desaceleram nossa jornada em gerir negócios e desviam o nosso foco para a gestão de conflitos. É um processo exaustivo, cansativo e que habita bem longe dos grandes resultados.


Somos reconhecidos pelas nossas entregas, não pelo processo e, muito menos pelos esforços!

Já parou para pensar em quanto tempo não cronometrado as pessoas gastam para gerir conflitos dentro das empresas de forma tão sutil, mas que ocupa a agenda tanto física quanto emocional? Ter a inteligência de gerir egos entre as pessoas, extraindo o melhor de cada uma e manter o foco no resultado é um dos maiores desafios dos líderes para manter o nível de high performance do time, mitigando os estresses que desviam dos resultados.

Pessoas desistem do trabalho, dos projetos, desistem de suas metas, não porque são difíceis, mas porque se cansam de lidar com pessoas, de tratar com conflitos. Líderes profissionais e antenados neste desafio crescente e acelerado têm investido um tempo em sua agenda para olhar ainda mais para as pessoas, extraindo o melhor de cada uma delas para não potencializar o que enrosca os resultados. Esse trabalho é árduo e envolve muita atenção, escuta ativa e análises.


Profissionais diferenciados buscam especializações na mesma intensidade que o autoconhecimento, para estarem preparados para gerir conflitos sem rescaldo próprio e continuar na entrega de resultados ainda melhores.

É dessa forma que a prática da humildade, em reconhecer os erros, em pedir desculpas, em recalcular rotas, em olhar formas de melhorar nossas entregas, visa trazer um diferencial e mais resultados, nos diferenciando na seara corporativa. Humildade não é baixar a cabeça ou mesmo, mas enxergar para além daquilo que a gente quer e desejar ver.











Por Shirley Fernandes



5 visualizações0 comentário