A liderança no home office

O trabalho remoto ou home office tem se popularizado ao redor do mundo a partir da pandemia da Covid-19, em 2020. Esta foi uma saída encontrada pelas empresas para não paralisar, totalmente, o andamento das atividades e prestação de serviços. Contudo, para algumas empresas se tornou, de fato, um modelo de trabalho adotado mesmo após o período mais crítico da pandemia. Assim, algumas empresas mantiveram o modelo ou mesmo se tornaram híbridas.


Dentro desse contexto atual, empresas têm que lidar com novas funções e competências para trabalhar em equipe, uma vez que as pessoas estão sincronizadas pelas tecnologias digitais, mas diferentemente do cenário antigo elas não convivem presencialmente. Com isso, é preciso que os líderes repensem a sua atuação. Mas como? Este é o grande desafio de empresas e gestores.


Os obstáculos são vários e, por isso, a liderança e a gestão são imprescindíveis. Aqui, a sintonia e a confiança mútua se fazem necessárias para que o trabalho seja feito da melhor forma e que ambas as partes entendam o seu papel.


Liderar não é uma tarefa fácil. É preciso encontrar um equilíbrio entre cobrar e saber dar margem para que o colaborador também possa exercer a sua função. Mas, estando no contexto do home office a “fiscalização” se torna mais complicada. Como saber que o colaborar está de fato exercendo a suas atividades? É aqui que entra o papel de um líder que tem a confiança da sua equipe. Não se trata de autoritarismo. Muito pelo contrário: falamos de uma relação de troca, de compartilhamento, onde cada um sabe o seu papel e tem que entregar resultados.


Podemos listar uma série de desafios, como: ausência de estrutura própria para trabalhar; ânimos aflorados e desânimo em razão do distanciamento; falha de comunicação; desrespeito aos horários; suspensão de políticas de feedback; dificuldade de desconexão ao final do dia e problemas com colaboração e trabalho conjunto. E para superá-los é preciso: manter a comunicação; ter uma agenda e reuniões online; determinar uma escala de entregabilidade; fornecer material de trabalho necessário; demonstrar confiança para a equipe; acompanhar o desenvolvimento do trabalho e dar feedbacks constantes.


Além disso, é importante saber como os colaboradores estão. Pois, isso também demonstra que os líderes se importam com o colaborar e não somente com a sua mão de obra. Neste sentido, também é importante que seja criado um espaço de troca e compartilhamento de processos que não deram certo. Um líder também erra!


Ou seja, criar um ambiente de compartilhamento, segurança, confiança e, principalmente, de tranquilidade é o caminho certeiro para uma melhor relação de trabalho no home office. E, garantir que as atividades e serviços sejam feitos sem a necessidade de uma cobrança constante e incansável.

5 visualizações0 comentário